Descansar a alma...

14 janeiro 2016



Estava mesmo com saudades da praia.
Não do verão. Não da agitação frenética de um dia quentíssimo em meio aos banhistas. 
Quem me conhece sabe que realmente isso não me agrada.
Apenas da praia.
De sentir o vento salgado no rosto e o cheiro do mar.
De caminhar descalça, com os pés na água segurando os chinelos. 

De sentar na areia observando o horizonte azul e ouvindo o oceano murmurando, 
frente às gaivotas histéricas.
Relógio parado. Pôr-do-sol em um degradê de tons avermelhados.
Estar perdida no tempo com pensamentos desfocados…
Me encontrar em mim...
‪#‎férias‬ ‪#‎família‬ ‪#‎descanso‬ ‪#‎paz‬ #copacabana #riolindo

Sobre REganho de peso pós bariátrica. (mais uma vez)

Em 5  anos tive reganhos irrisórios de peso, 1 kilo a mais na balança e lá estou
eu, correndo atrás. Fanatismo? Neura? Prefiro chamar de cuidado! Muitas
pessoas que operaram depois de mim, cheguei a ver magras e agora...


Redução de estômago é uma decisão séria, que deve ser tomada por pessoas conscientes, e de maneira consciente.
Que nos últimos anos ela vem sendo banalizada e virando moda eu já sabia. ok!! (ok nada, isso não é brincadeira!)
Mas agora vejo surgirem e ganharem força, duas 'novas modas'... E estão me assustando!!
Uma, é o reganho de peso que a cada dia ganha proporções maiores.
Quem me contou? Quais  estatísticas  analisei para fazer esta afirmação?

EU VEJO!!!!!
Onde quer que eu vá, encontro pessoas que reganharam peso. Muito peso. E em POUCO tempo.
Falo muito, interajo com as pessoas, pesquiso, leio, acabo conhecendo gente operada e parente de gente operada e amigos de gente operada... Todos os dias ouço relatos.
Me contam sobre alguém que conhecem, que "operou, emagreceu e já está está enoooooorme outra vez!" (as aspas mostram que as palavras dos conhecidos são essas.) Não são minhas palavras!!!! Logo, não estou julgando. ok também? (me defender antes de ser atacada, né? já vi que preciso)
Sem contar os muuuuuitos casos que tenho visto com meus próprios olhos.
A outra moda que vem com tudo, é a dos pacientes que já operam pensando em reoperar, caso não dê certo.
Não entenderam? Vou desenhar...
Já viram aqueles casais que estão se preparando para o casamento e alguém, talvez por perceber que estão tomando uma decisão precipitada, pergunta sutilmente se eles tem certeza do grande passo que estão dando, da seriedade da decisão que estão tomando e eles respondem com esta frase?
"Ahhhh, a gente vai tentar,,,, Se não der certo, separa. Depois tenta de novo..."
Um minuto de silêncio pra quem faz cirurgia bariátrica pensando assim.
No casamento assina e desassina (acho que inventei essa palavra,né? rs) o papel quantas vezes quiser e consequências à parte, nunca vi ninguém morrer disso. (?)
Agora, na cirurgia, o negócio é mais embaixo e mesmo assim tá virando moda!!
Se operar já é arriscado, imagine então, REoperar.
Já julguei e condenei várias vezes, defendendo minha opinião de que quem não cuida da cirurgia é desleixado, negligente, irresponsável...
Hoje me posiciono de outra forma e acho que os adjetivos acima são válidos para quem passa pelo procedimento sem se dar conta das mudanças que ele requer em todas as áreas da vida.
Senso comum à parte,estamos falando de uma realidade. Se o obeso não é obeso por escolha, obviamente ninguém que tenha experimentado o outro lado, (magro e saudável) por vontade própria voltará ao ponto de partida, não é mesmo?

Então por qual motivo tantos pacientes bariátricos vem recuperando grande parte, ou todo o peso eliminados através da cirurgia?
Voltarei em breve para dizer a vocês o que constatei!!!
Beijossss

Psssss.... Posso demorar uns dias, afinal, estou de férias!!!

Desabafo para evitar que portas se fechem para quem precisa de mim.

11 janeiro 2016


Bom dia galera!
Quero contar algo que me aconteceu hoje. Com isso conhecerão um pouco mais a meu respeito e saberão que sou BOA, o que não quer dizer que seja BOBA.
Como comumente acontece e eu nem ligo, uma candidata à cirurgia bariátrica me abordou no meu celular pessoal (que está até nos meus cartões, logo, realmente não ligo) pedindo ajuda.
Foi uma outra paciente bariatrizada e também minha amiga querida, quem sugeriu que me abordasse, com a melhor das intenções.
Ajudar a alguém que está completamente perdida, precisando operar e não sabe sequer por onde começar.
A fulana me abordou, nem perguntou se eu podia falar no momento e já foi despejando sua demanda.
Isso pra mim é super normal. São 5 anos de prática, tem uns que não dizem sequer muito obrigada... E na maior cara de pau, quando por ventura precisam novamente, voltam pedindo ajuda de novo como se nada tivesse acontecido.
Tudo bem, é o preço que pago com alegria (as vezes nem tanta alegria) pela escolha que fiz.
Mas daí a falar mal de mim, como se eu não tivesse mais nada pra fazer na vida a não ser atendê-la? Me poupe!
Estava no trânsito e devido à urgência que ela demonstrava, parei no sinal e dei respostas diretas, com telefone da clínica e tudo mais, para acalmá-la.
Não posso responder o que não sei. Não posso dirigir falando ao celular. Mas também não posso parar minha vida, toda vez que alguém me chama.
Se fizesse isso seriam 30 horas por dia, 7 dias por semana, só por conta...
Assim que parei tentei me informar com as secretárias sobre o que ela precisava, para poder ajudá-la melhor.
E quando pego o celular para dar o que ela tanto queria, o nome de um médico que atendesse seu convênio, recebo uma imagem dela.
Um print da tela da nossa conversa, que ela enviou tentou enviar para minha amiga, dizendo que sou grossa e que não queria mexida comigo. (Se tem uma coisa que definitivamente não sou, é grossa! Sou educada sempre. Até com quem não merece.)
Porém não teve o cuidado sequer de prestar atenção e mandou foi pra mim. Ou seja, falou mal de mim comigo mesma, enquanto eu tentava ajudá-la.
Estou postando apenas para dizer a quem possa ter a mesma opinião, (embora a opinião dos outros já tenha deixado de fazer diferença pra mim há muito tempo) que o fato de ser uma pessoa pública não me obriga a aceitar desaforos, já que sou eu quem paga minhas contas.
Óbvio que disse isso a ela!!! Na mesma hora!! Dei o nome do médico, (fiz até demais) mas ela terá que andar por suas próprias pernas, se quiser operar. Se guiar sozinha.
Ajudo por prazer, mas tenho outras coisas que precisam da minha atenção. (minha vida, talvez?)
Não recebo por minha ajuda, não tenho que responder watsapp às 3 da madrugada.
Me sugam como tenho certeza de que jamais fariam com seus médicos. E se esquecem de que estou prestando um trabalho VOLUNTÁRIO. NÃO. RECEBO. PARA. ISSO!!!
Posso me ausentar do face esporadicamente e não tenho que avisar previamente.
Posso querer ou precisar de um tempo pra mim. Sou um ser humano.
Um rélis ser humano que muitas vezes sente que tem sua boa vontade invadida, abusada, dilacerada, por meia dúzia de pessoas sem noção.
Tenho vida.
Amo o que faço. Faço por prazer, faço pra cumprir minha promessa... Mas amo mais ainda e faço questão, de ser respeitada!!! Certa vez meu próprio médico me disse, que quando a ajuda que você oferece, beneficia os outros mas prejudica a você mesmo, deixa de ser ajuda e passa a ser loucura.
Se ofereço consultoria paga, (valor simbólico por horas ouvindo, orientando e "agilizando o processo") me chamam de estrela, dizem que a "fama" (não sei que fama é essa, mas é isso que dizem) está me subindo à cabeça, e que antes eu não ligava pra dinheiro. Mas acontece que tenho aprendido que pra maioria, só tem valor quando tem preço...
Prometi ajudar, mas em nenhum momento prometi servir de capacho pra ninguém.
Já fiz muito isso quando sofria de obesidade. Agora sofro de amor próprio excessivo.
Enfim um desabafo, pois é por essas e outras que andam acontecendo ultimamente, (abusos que venho aguentando de pacientes bariátricos que acham que sou a extensão gratuita dos seus médicos)  que estou realmente revendo meus conceitos.
A cada dia tenho tido mais certeza de que o que é de graça, para alguns é o mesmo que nada.
Triste isso, pois sei que muita gente boa precisa e poderia receber minha ajuda.
Sem mais para o momento...
Att;



Compre meus livros direto do Mercado Livre e receba em casa!!

10 janeiro 2016


Oi gente!!!
Olha que novidade bacana!!
Agora os leitores podem adquirir meus livros direto no Mercado Livre, pagar no boleto ou cartão e receber em casa com todo conforto e comodidade!!
Conto minha trajetória com a obesidade, como faço para me manter magra e sem reganho de peso após a cirurgia bariátrica e ainda minha visão "psicológica" (visão da psicóloga em formação) da questão.
Não percam! A trilogia inteirinha está lá!!
Para comprar "Vida de Borboleta" clique aqui.
Para comprar "Um Voo Além" clique aqui.
Para comprar "Chega de Engolir Sentimentos" clique aqui.
Boa leitura a todos!!

Minha coluna de Dezembro - Revista Pratique.

19 dezembro 2015

 Obesidade e os Recursos Para Tratá-la.

A informação mais importante que uma pessoa deve ter a respeito desta doença, é que uma vez instalada, não existe cura.
Até mesmo a cirurgia bariátrica deve ser vista como um tratamento ou medida paliativa, pois mantém a doença sob - controle, mas não a extermina.
A gordura em excesso existente no corpo de um obeso sobrecarrega todos os órgãos vitais, fazendo-os trabalhar em sua capacidade máxima, por todo o tempo, durante anos.
Isso leva o organismo à exaustão e propicia o aparecimento de outras doenças, decorrentes do esgotamento destes órgãos.
Diabetes e hipertensão arterial são exemplos de doenças decorrentes da obesidade, assim como os problemas nas articulações, coluna e distúrbios do sono.
Quando instalada na infância e na adolescência, a obesidade também é responsável pelo
desenvolvimento precoce de várias outras patologias, como: puberdade precoce, rinite, asma, depressão, além dos desajustes psicossociais causados pela diminuição da autoestima e pela depreciação da autoimagem.
A obesidade é uma doença grave, que acarreta sérios prejuízos à saúde, em qualquer etapa da vida e raramente veremos uma pessoa obesa chegar a uma idade avançada.
Os casos da doença vêm crescendo vertiginosamente nos últimos tempos, nas diferentes classes sociais.
O motivo é o estilo de vida, cada vez mais sedentário e o consumo exagerado de doces, guloseimas e alimentos processados.
Nunca tivemos tantas crianças obesas e este é um grande indicativo de que em um futuro bem próximo, teremos um ainda mais elevado número de adultos obesos.
Mas não é tão simples tratar a obesidade, já que é uma doença de origem multifatorial.
Ela depende do componente genético e do ambiente para se desenvolver e não existe uma fórmula única para todos.
Hoje em dia, já que vivemos em uma época em que o que impera é o sedentarismo, que encontramos tudo pronto e muito fácil, é preciso nos policiar e nos ajustarmos para termos uma alimentação saudável e fazermos pelo menos, o mínimo de exercícios físicos.
Os fatores genéticos podem até ter influência sobre o fato de sermos gordinhos ou não, mas são os nossos hábitos diários que irão determinar a extensão dessa obesidade.
Precisamos nos cuidar, cultivando bons hábitos desde muito cedo para que possamos chegar saudáveis à vida adulta.
Conclui-se então que não existe recurso melhor para tratar a obesidade, do que a prevenção.

É preciso que haja uma intervenção no estilo de vida e nos hábitos diários de alimentação e a prática de atividades físicas, para mantermos um peso saudável.

Quem deve operar o estômago?

17 dezembro 2015



"Lu Fernandes, você recomenda a redução de estômago a todos?"

Sim!!


Esta foi a pergunta que ouvi agora há pouco.
E a resposta?

Sim!!!! A todos que necessitem dela! Mas não só isso. A todos que além de necessitarem, estejam aptos tanto física, quanto e emocionalmente, para passar pelo procedimento e pelas mudanças ocasionadas por ele.
A todos que atendam aos pré requisitos. Que tenham indicação clínica.
Não prego que todos tenham que operar. Prego a importância do controle da obesidade através de hábitos alimentares saudáveis e prática de atividades físicas.É isso o que abordo em minhas palestras!
Redução de estômago é o último caso, meu povo!!!

Cinco anos de 'vida inteira'...

16 dezembro 2015

Há exatos cinco anos, (completos ontem, 15/12/2015) eu entrava em um bloco cirúrgico, cheia de medos, de inseguranças e conflitos interiores, (outros tantos, exteriores também!!) mas com uma grande certeza.
Eu sairia dali, disposta a mudar meu "destino".
Depois de uma vida de muito sofrimento físico, emocional, psíquico... (a dependência pelas anfetaminas e tranquilizantes)
De uma vida de maus tratos, feridas na alma, de pré- conceitos, discriminação e muita tristeza, tive a oportunidade de reescrever minha história e agarrei com unhas e dentes, aquela que a meu ver seria minha única chance de alcançar uma existência digna.
Sim. Digna. Pois uma das coisas que o obeso perde quando atinge o fundo do poço, é sua dignidade.
Sem minimizar é claro, o processo de deterioração da auto estima e o sofrimento diário.
*Já sei que estou horrível nessa foto! Mas o dr tá top!*
 Enquanto caminhava no corredor daquele hospital, rumo ao que para mim seria uma nova vida, lado a lado com um estranho, alguém com quem tinha conversado duas ou três vezes e confiado minha vida em suas mãos, não pensei em muitas coisas.
Apenas pedi a Deus que da mesma forma que ele havia me capacitado para tomar tomar aquela decisão tão difícil, capacitasse também a pessoa a quem ele havia escolhido para ser sua ferramenta.
O doutor Hêmerson sempre representou isso, pra mim...
A ferramenta que o Senhor usou para me devolver a vida.
A partir daquele momento, não se passa um só dia sem que ao acordar pela manhã, eu ore a Deus agradecendo pela  vida nova que me proporcionou, pela vida do meu doutor e pedindo, para que assim como ele foi ferramenta de benção e mudança para mim, que possa continuar sendo para todas as pessoas que venham a precisar dele.
No dia em que comemoro cinco anos em que passei a ter uma 'vida inteira', não poderia deixar de expressar aqui neste espaço tantas vezes lido por vocês, minha gratidão a Deus e a todos que sempre apoiaram e se fizeram presentes.
E de enfatizar que neste quesito, (quesito eu nasci de novo, saí do casulo triste, tive uma nova chance) meu referencial é sempre o meu doutor, pois foi através de suas mãos que em minha vida, tudo se fez novo.
Foram cinco anos de mudanças, de aprendizado, de vitórias... Claro que não sem lutas, como o próprio dr disse, mas foram os melhores cinco anos da minha vida!!
E apenas os cinco primeiros de outros tantos que virão!Assim espero, né? rsrs

Obrigada por tudo, doutor Hêmerson, que o Senhor, em sua infinita bondade e sabedoria possa abençoar sua vida cada dia mais, cobrindo de bênçãos a você e toda a sua família e realizando, segundo sua vontade, os mais íntimos desejos do seu coração!!
Bejossss pessoal!!! E até breve!!






Lançamento "Chega de Engolir Sentimentos"

Mais um livro...
Sempre ouvi dizer que o processo que envolve a criação e publicação de um livro é parecido com uma gestação.
Como se estivéssemos gerando um filho, que ao nascer, cuidamos como a um tesouro.
Nunca compreendi, até que passei pela experiência.
Pois enfim, nasceu meu terceiro filho literário.
"Chega de Engolir Sentimentos".
Demorei para postar a respeito, pois depois da correria do fim do semestre que foi praticamente atropelado pelos preparativos do coquetel de lançamento e do evento em si, meu corpo não aguentou. Foi muito puxado e quase "entrei em parafusos" quando  terminou.
Sério mesmo...
Até o Facebook eu desativei e apenas hoje estou retomando minha rotina no mundo virtual.
Precisei de um descanso e um de um tempo pra mim.
Até mesmo para processar o sucesso, ouso dizer, sem a menor modéstia!

O evento foi lindo, perfeito, livraria cheia mais uma vez!! Cheia de leitores, de amigos, de pessoas queridas, de transeuntes que passavam pelo shopping...
Enfim... Casa cheia e aceitação total deste novo trabalho e das reedições dos livros anteriores!!
Como sabem, não sou mais autora independente, logo, as vendas não são mais feitas por mim. Até tenho alguns poucos exemplares, mas à partir de agora podem adquirir meus livros nas livrarias leitura, cultura, e outras autorizadas, Brasil afora!!!
É isso, pessoal!!!
Beijo grande!!!

Patrocinadores do Evento
Editora Garcia - Publicação
Leni Brumano - Fotografia
Lojas Pé-de Mulher - Sapato
Instituto de Beleza - Marcella Santos -  Produção Unhas, Cabelo e Make.
















Contagem Regressivaaaaaa!!Já é semana que vem!!

23 novembro 2015


Todos estão convidados e serão muito bem vindos!!!


Ouça o seu silêncio, ele pode ter muito a dizer!

11 novembro 2015



Bom dia, pessoal!!
A correria impera neste momento. É só o que posso dizer para justificar minha ausência no blog.
Final de semestre na faculdade, fase final para o lançamento dos livros e os afazeres cotidianos, aos quais tento me dedicar um pouco também!
Enfim... A vida segue. Não pára. E a nós, cabe acompanhar.
Hoje vim aqui, convidá-los à uma reflexão...
Reservem um tempinho para estarem a sós, consigo mesmos.
Olhem para dentro de si, onde estão guardados seus pensamentos mais íntimos e se perguntem...
Estes sentimentos que venho guardando apenas para mim, tem contribuído para meu crescimento?
As angústias, a falta de perdão, a raiva, a amargura, as tristezas... Até mesmo a alegria não compartilhada...
Tudo isso tem me feito bem ou mal?
Já pararam para pensar que os sentimentos oprimidos podem estar fervilhando, borbulhando dentro de você?
Já parou para analisar como é que seu corpo faz para digerir estes sentimentos que você "engole", até mesmo sem perceber?
No livro "Chega de Engolir Sentimentos" tento mostrar aos leitores, que as enfermidades do corpo, muitas vezes estão enraizadas nas 'enfermidades da alma'.
Enfermidades emocionais muitas vezes desencadeadas única e exclusivamente pelos nossos sentimentos mal resolvidos.
Parece bobagem, mas na verdade é algo de extrema seriedade e que realmente requer uma atenção especial.
Exitem momentos em que precisamos parar e ouvir a voz do nosso próprio silêncio e somente através dele, reorganizarmos nossas emoções e definirmos um ponto de partida em busca de nós mesmos!!
Pensem a respeito!!
Beijosssss
^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo