Pra descontrair

24 setembro 2010


GINÁSTICA AOS 50

Agora que acabei de completar 50, minha mulher me presenteou com um cupom
válido por uma semana de treinamento físico em uma boa academia local.
Independente de que eu estou em excelente forma, pensei que era uma boa
idéia para tentar deter o processo da "barriguinha" que ataca a todos nós.
Liguei para a secretaria e fiz minha reserva com uma personal trainner
chamada Nadia,que se auto-descreveu como uma Instrutora de Aeróbica de 26
anos e modelo de trajes de banho e roupa esportiva.
E a secretaria me recomendou que levasse um diário para ir documentando
meu progresso e é esse que eu lhes envio:

Segunda:

Comecei meu dia as 6:00.
Bastante difícil levantar-se da cama a essa hora, porém toda viagem valeu
a pena quando cheguei ao ginásio e vi que Nadia estava me esperando.
Parecia uma deusa grega: ruiva, olhos azuis e um grande sorriso, com uns
lábios carnudos e um corpo espetacular.
Nadia me fez um tour para mostrar os aparelhos, tomou meu pulso depois de
5 minutos na bicicleta.
Se alarmou que meu pulso estava tão acelerado, porém eu o atribui a ela,
vestida com uma malha de lycra coladinha, e estava bem perto de mim.
Desfrutei bastante do exercício.
Nadia estava sempre me motivando quando fazia as sessões, apesar
da dor na barriga que eu sentia, de tanto encolhe-lá, toda vez que ela
passava perto de mim.

Terça:

Tomei duas jarras de café, porém finalmente sai da porta da minha casa.
Nadia estava mais linda que nunca, me pôs a levantar uma pesada barra de
metal e depois se atreveu a por pesos !
Minhas pernas estavam um pouco debilitadas, mas eu consegui completar UM
KILOMETRO COMPLETO.
O sorriso arrebatador que Nadia me deu me convenceu completamente de que
todo exercicio valeu a pena... me sentia fantástico... era uma nova vida
para mim.

Quarta:

A única forma como consegui escovar os dentes, foi colocando a escova
sobre a pia e movendo a cabeça para os lados.
Creio que tenho uma hérnia nos peitorais.
Dirigir não foi tão fácil: somente de frear e dar voltas no volante me
doía o peito. Estacionei em cima da calçada...
Nadia estava ficando impaciente comigo por considerar que meus gritos
molestavam demais os outros sócios do clube.
Sua voz estava um pouco aguda a essas horas da manha e quando gritava me
incomodava muito.
Meu corpo doeu inteiro quando ela me colocou uma cinta para fazer
escalada. Para que merda alguém inventa um treco para se escalar quando
isso já esta obsoleto com os elevadores?
Nadia me disse que isso me ajudaria a ficar em forma e desfrutar a vida...
ou alguma dessas merdas de promessas.

Quinta:

Nadia estava me esperando com seus odiosos dentes de vampiro e com seu
sorrisinho estilo Jack Nicholson em Batman.
Não pude evitar de chegar meia hora atrasado: foi o tempo que demorei para
colocar os sapatos.
A desgraçada da Nadia me colocou para trabalhar com os pesos, quando se
distraiu, sai correndo para me esconder no banheiro. Mandou um outro
treinador me buscar e como castigo me pôs a trabalhar na maquina de
remar... e me ferrei.

Sexta:

Odeio a desgraçada da Nadia mais que qualquer outro seu humano que tenha
sido odiado na historia do mundo.
Estúpida, magra, anêmica, chata e feminista sem cérebro!
Se houvesse uma parte do meu corpo que pudesse se mover sem uma dor
angustiante, eu partiria no meio a vaca que pariu essa desgraçada.
Nadia quis que eu trabalhasse meus tríceps... EU NEM SEI O QUE É UM
tríceps ! E se não bastasse me colocar o peso para que o rompesse, me
colocou aquelas merdas das barras ou qualquer outra coisa que pese mais
que um sanduiche...
A bicicleta me fez desmaiar e acordei na cama de uma nutricionista, uma
idiota que me deu uma catequese de alimentação saudável, claro.
Que mal tem se entupir tanto de comida a ponto de passar mal? Por que eu
não fui fazer algo mais tranquilo, como ter aulas de costura?

Sábado:

A lazarenta da Nadia me deixou uma mensagem no celular com sua vozinha de
lésbica assumida, perguntando-me por que eu não fui.
Só com a vozinha me deu gana de quebrar o celular, porem não tinha certeza
se teria força suficiente para levanta-lo, inclusive para apertar os
botões do controle remoto da tevê estava difícil... Assim eu fiquei
sentado, assistindo 11 horas seguidas o maldito National Geographic, vendo
um hipopótamo maldito ficar comendo e brincando na lama...

Domingo:

Pedi ao vizinho do lado para ir a missa e agradecer a Deus por mim por
essa semana que terminou.
Também rezei para que o ano que vem, a desgraçada de minha mulher me
presenteie com algo um pouco mais divertido, como um tratamento dentário
de canal, um cateterismo ou um exame de próstata...
Comentários
0 Comentários

0 Comentários:

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo