Um ano de muitas mudanças... Se tiverem paciência pra ler...

01 janeiro 2011


A vida passada a limpo.


Vou contar neste primeiro post de 2011, um pouco sobre a decisão que mudou e mudará minha vida ainda muito mais...
Fui uma criança gordinha, uma adolescente cheinha e isso nunca havia me perturbado a ponto de me tirar a alegria.
Sentia-me bonita, desejada, mesmo depois de casada me sentia bem.
Comecei a pensar em dietas e em emagrecer, antes mesmo de engravidar.
Queria engravidar mais magra, para recuperar o meu corpo mais rapidamente após o parto.
Nesta época eu pesava 63 quilos e tinha 19 anos.
Pois bem, fiz uma dieta saudável, sem medicamentos nem loucuras, fiz muitas caminhadas, em três meses cheguei aos 50 quilos e amei meu novo visual, em seguida a cegonha chegou.
Gravidez tranqüila, planejada e quando o BB nasceu estava com 70 quilos.
Foi tranqüilo de perder, 30 dias de parto e só faltavam sete dos 20 quilos adquiridos, a serem eliminados.
Foi aí que se iniciou o efeito sanfona em minha vida.
Com 57 quilos, me sentia linda, só amamentei 30 dias e o João largou o peito. Senti que mesmo amamentando tão pouco, os seios estavam flácidos e seis meses após o parto, fiz uma plástica para consertá-los.
Nessa época comecei com os preparativos para tão sonhada festa de 1 ano do meu BB.
No dia 06 de abril de 2001, João completou 1 ano, e com os preparativos da festa, cheguei aos 63 quilos, exatamente onde estava quando tudo começou.
Claro que não me senti feliz com isso, e as dietas malucas começaram.
Procurei médicos que me dessem receitas de anfetaminas, alguns resistiam, outros pediam exames e após relutarem acabavam passando e eu cheguei aos 47 quilos, seca, esguia... Sentia-me linda, mas hoje sei que não estava.
Os médicos já não me davam medicamentos de maneira nenhuma, e voltei a engordar, pois o vício pelas mais diversas anfetaminas me corroía, e a falta delas me levou à depressão.
Foram alguns anos de luta fazendo tratamentos com psicólogos e psiquiatras, neste meio tempo, engordando cada dia mais.
Até que encontrei o “médico” que acabou de me destruir,mas eu achava que estava a salvar minha vida.
Ele me passava todos os medicamentos existentes no mercado, desde que eu pagasse por cada receita, é claro.
E eu pagava. Nem quero listar aqui os nomes das drogas, mas podem acreditar eram todas tarjas pretas e me deixavam louca – literalmente.
Mas me emagreciam, e era o que eu queria. Quando comecei a vê-lo estava no auge dos 83 quilos, nunca tinha pesado tanto, e criei o blog, isso ocorreu em 2007.
Com os medicamentos, cheguei aos 50 quilos novamente, e quase perdi meu casamento, meu filho... minha vida mesmo, meu marido dizia que eu parecia uma drogada, aquilo não era vida. Pensava na cirurgia, mas já não conseguia raciocinar sem as anfetaminas, e todos os médicos que procurava pra falar em redução de estômago, faltavam me expulsar de seus consultórios. Não queria mais ver aquele médico, já sabia que fazia coisas erradas, vendia medicamentos, eu mesma pedia pra outras pessoas comprarem as receitas pra mim. Por cinqüenta reais conseguia-se qualquer receita com o charlatão.
Então Deus me resgatou, e do nada, de tanto orar e implorar a Ele, que me tirasse daquele vício por remédios e me ajudasse a emagrecer sem eles, simplesmente resolvi que nunca mais, colocaria uma porcaria daquelas na minha boca outra vez.
Parei assim como comecei e isso teve seus efeitos, claro.
Novamente em depressão, engordando cada dia mais, parei de sair na rua. Parei de aceitar trabalhos, só fotografava esporadicamente, tranquei a matrícula na faculdade só ia ao trabalho, por ter que cumprir com minhas responsabilidades na empresa.Vivia de atestado, muitos deles quem me dava era a psiquiatra.
Virei uma péssima esposa, uma péssima mãe, mas não desisti do meu sonho de emagrecer e de ser saudável e linda.
Já com 90 quilos, uma hérnia de disco e os joelhos completamente danificados, voltei a correr atrás da redução de estômago.
Foi em uma consulta ao cirurgião da coluna, que veio a luz no fim do túnel. Ele me deu o que eu precisava, um encaminhamento para um cirurgião bariátrico, com um laudo favorável à cirurgia, pois segundo ele, uma cirurgia no estômago, e a redução do meu peso, pouparia a cirurgia da coluna que era mais complexa, e desta forma,(reduzindo o peso)poderia exterminar a hérnia.
Na semana seguinte contarei tudo o que aconteceu até a realização da cirurgia, não apagarei meus posts anteriores, nenhum deles, pois são 3 anos de história, e não acho justo deletar tudo como se não houvesse acontecido.
O foco do blog também não irá mudar, será como sempre foi, destinado à minha Reeducação Alimentar, a diferença, é que agora sou gastroplastizada e isso muda muita coisa em minha vida.
Aos que sempre me seguiram e me apoiaram, o meu muito obrigada, continuarão sendo muito bem vindos no meu cantinho, gosto demais de vocês. Àqueles que nunca tiveram interesse ou paciência em ler o meu blog, não é agora que terão... Sou gastroplastizada, mas sou a mesma pessoa, afinal, operei o estômago e não o cérebro.
Contarei detalhes da cirurgia, que ainda não havia tido disposição, a técnica, como foi o grande dia, como foram os primeiros dias após, e como estarei à partir de agora.
É isso gente, desejo um 2011 de mudanças, não só pra mim, mas a todos vocês!
Um beijo grande em todos, o carinho de vocês sempre foi essencial na minha caminhada!
Comentários
3 Comentários

3 Comentários:

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo