Como fica a alimentação depois de uma ano e meio de gastroplastia?

19 junho 2012

Esta foi a pergunta que ouvi hoje.
Todos sabemos que no início, tem toda aquela fase transição de dietas, de adaptação do organismo com as quantidades, com as texturas, tudo é novo.
Porém esta fase não dura muito, a sensação que tenho, é de que tudo passou rápido demais.
Passadas as fases de dieta liquida, pastosa, branda e bem cozida, o processo entra em uma etapa bem tranquila, porém pouco compreendida, que é quando podemos ingerir de praticamente todos os grupos de alimentos.
As quantidades é que surpreendem, pois embora possamos comer de tudo, não conseguimos mais comer em grandes quantidades como antes.
No decorrer do tempo, digo que isso muda, a quantidade tolerada pelo novo estômago aumenta bastante.
Mas a pessoa inteligente, dribla isso numa boa fazendo escolhas saudáveis.
Eu me considero uma destas pessoas.
No início, quando comia pão francês, 1/3 dele, era suficiente para me deixar lotada, hoje em dia, consigo sem dificuldade comer um inteirinho e ainda acompanhar com um copo de leite ou suco.
É claro que sei o que acontecerá se eu seguir estes impulsos e a cada refeição, comer um pão, ou pizza, ou macarrão, então troco por frutas, sucos, iogurtes, tento me alimentar de maneira equilibrada, inserindo ao meu cardápio, todos os grupos de alimentos.
Divido em pequenas porções no decorrer do dia, e estou enfim, me adaptando aos horários.
Como de tudo.
Devo dizer que não tenho restrição a nenhum alimento.
Depois de um ano e meio ainda vomito???
Sim!!!!!!!
Todas as vezes que como depressa, sem mastigar o suficiente, sem tomar cuidado com a quantidade tolerada pelo estômago...
A regra não muda, sou hoje, exatamente como fui há um ano e meio atrás e se faço coisa errada, pago o pato.
Sinto dumping, todas as vezes que como algo que contenha creme de leite.
Tody ou qualquer outro achocolatado me deixam enjoada, e pão de queijo me entala.
Não posso afirmar que isso acontece com todos os operados, cada organismo é diferente e reage de forma peculiar, o meu é assim.
Mas a minha vida hoje é uma vida normal, eu me alimento de forma normal.
Sim, hoje como, como gente normal, e não como a obesa desesperada por comida que eu era antes.
A cirurgia me proporcionou isso, me proporcionou esta fase de auto conhecimento.
Digo a cada pessoa que optou pela gastroplastia, que se permita conhecer a si mesmo, a experimentar novos sabores, a sentir prazer em degustar o alimento.
Alimentar, é muito mais do que simplesmente comer!!
Fica a minha dica!!
Comentários
7 Comentários

7 Comentários:

Taiane disse...

oi Lu tudo bem?
Olha fui ao dermato e iniciei o tratamento para cicatriz, é quelóide mesmo, no dia 12/06 eu fui nele e ele no mesmo dia fez uma aplicação de um remédio e na quinta já estava bem melhor, já diminuiu e clareou tb, estou usando uma pomada e uma fita de silicone.
Para vc ter uma idéia melhorou 80%, ela não estava tão feia sabe, mas estava alta e um pouco escura.
No próximo dia 12 volto nele para ele fazer uma nova aplicação com o remédio que mandou comprar, ele disse que é melhor do que esse q usou em mim acho que vou ficar sem cicatriz...kkkk

Em relação à comida eu tb estou 100% não posso comer doce pq passo mal....
Exemplo: acabei de almoçar se tiver sobremesa tenho q esperar 1 hora no mínimo para comer .
Outro dia comi um pedacinho de bolo de chocolate, menina quase morri...rs
Comecei a suar frio, e só conseguia colocar para fora uma água tipo quando o neném golfa, fiquei assim aí sentei fiquei quieta +- 20 minutos depois fui melhorando..é horrível !!!

Mais de resto como tudo direitinho e não sinto nada graças a Deus!!!!!

bjs

Juliane disse...

Oi Linda!
A adaptação, pelo menos para mim, esta sendo ótima. Não enjooei na primeira tomada de leite e tudo desce redondinho. Sei a importancia de conhecermos a nós mesmo, testar alimentos e limites. Temos que estar preparado para tantas mudaças. Eu por exemplo, fiquei muito sensível quando saí do hospital e me deparei tomando somente "água" de hora em hora, outros levam na boa e tem aqueles que se desesperam. Por isso a importancia de realmente conhecermos a nós mesmo e ter a conciencia de que a cirurgia é só o psso inicial, a conquista por sua vez depende de nós mesmos.

Bj

http://julianenopaisdasborboletas.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Lu,
Vejo que o tempo passou e nosso estomago aguenta muito mais comida hj em dia, o importante é saber fazer boas escolhas.Eu imaginava que jamais iria gostar de doces novamente e bem recente tive a confirmação que os docinhos de aniversários não me fazem mais vomitar e ter dumping - agora´é abrir os olhos e não vacilar com eles.Por mais que a gente seja exigente com nossa alimentação, tem sempre uma coisa para adaptar ou cortar, estou assim lendo rotulos e vendo calorias de tudo.Com minhas jacadas estou aprendendo comer novos produtos...e vai ser sempre assim - vida toda!!!
Um grande beijo.

Anônimo disse...

Ah esta semana indiquei uma amiga para Dr. Hemerson, falei com ele e foi super educado.A consulta foi na segunda-feira, meus amigos (esposa e marido) sairam de lá maravilhados com ele.Depois achei muito legal Dr. Hemerson me agradecer...este homem é um gentleman...agora todos por VIDEO da Unimed, vou indicá-lo.
Grande beijo.

Anônimo disse...

Parabéns pelo post e pelo seu blog. Estou na fase do pré-operatório, fazendo os exames e estudando bastante o tema e as informações passadas foi de grande valia.

Anônimo disse...

Excelente post. Principalmente para nós que opertamos a pouco.

Deia disse...

Oi Lu,
adorei conhecer você ontem e saiba que nossa conversa já fez bastante diferença na minha vida. Obrigada por você existir e ser tão simpática! Deus a abençoe hoje e sempre!

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo