É preciso se lembrar sempre, de onde você vem!!

28 setembro 2012

Bom dia gente!
Estava me recordando da minha infância, do que comia na minha  infância, pra ser mais exata.
Podemos observar hoje em dia, na alimentação dos nossos filhos, e os blogueiros mais novinhos, na própria alimentação, que tudo, ou pelo menos a maioria dos alimentos, é diferente do que nos era oferecido antigamente. Falando assim, parece que sou uma tia velha, não é isso, mas que já passei dos trinta e não sou mais nenhum brotinho, não é segredo pra ninguém!
Acontece que fui criada pelos meus avós, em uma cidade do interior de minas, *(leia-se "na roça").
Talvez por dois fatores particularmente, minha alimentação naquela época, era bem diferente da que tenho hoje e não estou falando sobre redução de estômago. Não neste aspecto.
Morava na roça e a situação financeira dos meus avós não era das melhores, nunca faltou comida, mas as opções não eram muitas.
Quando se fala em roça todos pensam em muita fartura, uma grande variedade de pães, queijos, bolos, biscoitos, leite, frutas saborosas e frescas, legumes colhidos na hora..
Mas esperem um pouco... Eu disse que morava na roça, não em uma fazenda, vão por mim, a diferença é muito grande.
Fui criada ingerindo comida no café da manhã, ou no lanche da tarde. Quando sentisse fome. Comida...(arroz feijão macarrão...)
De vez em quando tinha um pão caseiro, de vez em quando tinha um bolo, mas no dia dia, na rotina, ia pra escola sem comer nada e merendava o que era oferecido na cantina.
De volta, almoçava e à tarde, tinha um mexido feito com o que sobrou do almoço, farinha e pimenta!! E como isso era gostoso!
A janta, não falei jantar, falei janta mesmo, era servida lá pelas cinco da tarde e antes de dormir, sempre rolava outro mexidão...
Foi uma vida difícil, então quando tinha alguma coisa diferente, como doce ou frutas, comíamos sem limite... Não sabíamos quando teríamos algo parecido novamente.
Com exceção às frutas da época, como mangas, goiabas, jabuticabas, essas que dão no meio do mato e não era preciso pagar, as outras tínhamos só na cesta de natal, da fábrica de tecidos onde meu avô trabalhava.
Iogurte, só uma vez por mês, como dizia meu avô, no dia do "surtimento", (compras do mês) e esperávamos, meu irmão e eu, ansiosos por este dia.
Carne era de galinha ou porco, que tínhamos no quintal e peixe, só se meu avô pescasse.
Isso hoje em dia poderia ser somente parte do passado, se não tivesse influenciado completamente nos meus hábitos alimentares.
********

Sei que muitos destes maus hábitos, que reconheço não terem sido propositais, contribuíram para que eu chegasse ao grau de obesidade que cheguei, mas hoje em dia, mesmo gastroplastizada, de alguns deles não consigo, ou luto muito para me livrar até hoje.
Até bem pouco tempo, eu só comia no café da manhã, mexido feito com as sobras do jantar.
Parei com isso depois da cirurgia, mas por querer mudar os hábitos. Somente.
Por muito tempo, tentei trocar as refeições noturnas por iogurtes, frutas e lanches leves, mas de verdade? Acabei optando por comer quantidades menores de alimentos que realmente me satisfaçam.
Quando vejo as fotos das comidinhas que vocês postam, acho graça. Eu também como estes alimentos!! Como por querer uma vida mais saudável, mas prefiro meu mexidinho, em qualquer refeição.
É claro que tirei isso da minha rotina gente, mas fácil nunca foi!!

********
Não sinto a menor falta de pão, por exemplo, se não existisse, não me afetaria em nada!!
Faço minhas escolhas, controlo as quantidades e não permito (é claro que as vezes piso na bola, como qualquer outro ser humano) que porcarias entrem no meu corpo.
O que quero dizer com este relato, é que as vezes os maus hábitos estão em nós sem que sequer percebamos.
Eu poderia me entupir com coxinhas, quibes e hambúrgueres se sinto fome no centro da cidade. Prefiro esperar um pouco mais e almoçar.
Poderia me entupir de chocolates, com a desculpa de ser hipoglicêmica, mas se não tenho crises, fico longe deles e das balas. se tenho, a história muda, pois aí ingerir açúcar deixa de ser opção e passa a ser necessidade.
Enfim gente... Hoje sou operada, mas o bisturi do dr, não passou nem perto do meu cérebro, diminuiu o meu estômago e  somente isso.
Eu sei que posso engordar novamente tudo o que emagrecei, se eu não aprender que depende de mim.
Mas como sempre fui uma aluna muito aplicada em toda e qualquer matéria, digo que estou tirando de letra.
Tento dar o meu melhor, em tudo o que me proponho a fazer e vejo resultados positivos sempre.
Isto eu costumo chamar de atitude. Frente à vida, frente aos problemas, frente às limitações e às circunstâncias...
O que deixo pra vocês nesse dia de hoje??
Chega de desculpites!! A verdade é que se você não se amar primeiro, ninguém mais vai!!!!
Um bom dia e ótimo final de semana a todos!!!!

Comentários
28 Comentários

28 Comentários:

Isac Aires disse...

Hoje faço as coisas pensando em mim, hj já li que tal pessoa ta comendo mais pq ta frio, arranja-se desculpa pra tudo né, na verdade a culpa eh ela mesma, bjos.

Aguardo sua visita no meu blog e vlog, onde conto
tudo sobre minha cirurgia bariátrica.
|Blog| http://isaclourenco.blogspot.com.br/
|Vlog| http://www.youtube.com/100observacoes

Expatriada disse...

Estamos nos livrando de hábitos ruins e eu tento aprender novos e bons. A culpa não é de quem me criou, é minha. Afinal, a gulosa que se entupia de chocolates era eu. Era, porque não sou mais!
E como você, sou boa aluna e vou aprender realmente essa matéria. Decorar não vale, porque a gente esquece e depois de um tempo se alguém perguntar nem nos lembraremos mais. O negócio é aprender mesmo, entender! :)
Beijão Lu!

Anônimo disse...

Que post perfeito, a sua disciplina me fascina sabia? Parabéns. Mudar hábitos realmente nao e nada facil. Beijooos lindona

I Believe disse...

Oi Lu... fiquei imaginando como deve ser esse mexidão hehe. Mas vc está certa mudar os hábitos depende de nós, não é a cirurgia q vai fazer isso... Bjks

Yarinha disse...

Sempre que venho aqui leio coisas legais e inteligentes... De alguem que pensou serio pra transmitir uma mensagem pra quem passa por aqui!^^

Atitude... É disso que precisamos pra chegar onde queremos.. seja peso, trabalho, emocional.. enfim..

Um ótimo final de semana pra vc!

Beijinhos

http://yarinhafernandes.blogspot.com.br/

patricia disse...

Oie Lu, como vai amiga, que legal sua história a minha é meio parecida, por isso quem sabe a gente da tanto valor aos alimentos né....beijos

Estrela disse...

É lu não nunca disseram que seria fácil mais como vale a pena essas mudanças nos hábitos...
Lindo fim de semana.
Beijos.

Anônimo disse...

Luu como sempre um ótimo post amiga! =)

Foi bom pra conhecer um pouco mais sobre sua vida, e isso nos mostra de onde vem tanta humildade em você! =)
Por mais que as coisas tenham melhorado financeiramente, é sempre imprescindível ser humilde em qualquer aspecto da nossa vida, e isso você não perdeu!
Os hábitos alimentares são difíceis de mudar, porém não impossível, e você tem feito isso muito bem!

Beijos minha amiga, bom final de semana!


Ps: meu blog foi invadido e excluido, agora pouco amiga! =/
To arrasada, então assim que eu tiver outro eu venho aqui contar pra você! =/

Anônimo disse...

Luu como sempre um ótimo post amiga! =)

Foi bom pra conhecer um pouco mais sobre sua vida, e isso nos mostra de onde vem tanta humildade em você! =)
Por mais que as coisas tenham melhorado financeiramente, é sempre imprescindível ser humilde em qualquer aspecto da nossa vida, e isso você não perdeu!
Os hábitos alimentares são difíceis de mudar, porém não impossível, e você tem feito isso muito bem!

Beijos minha amiga, bom final de semana!

Anônimo disse...

Amiga, tinha falado que tinham excluido meu blog, mas não sei se realmente aconteceu, tentei entrar nele e aparecia blog excluido.
mas agora consegui entrar, então releve o comentário que eu falei isso.

Nossa, que alegria, pensei que tivesse sido excluido mesmo

Filipe Castro disse...

Nossa Lu, a parte em que você fala de comer os doces como se fossem as ultimas coisas de nossa vida, serviu como uma luva na história da minha infância.Também estou reaprendendo a viver graças à gastroplastia.

Cary disse...

Oi Lu, que bom vir aqui e ler um post assim, sabe amiga, ando meio desanimada, desmotivada, sem forças para lutar... Sei que é uma fase, mas essa fase pode atrapalhar tudo!
Tenho pensado muito no que realmente quero pra mim, as vezes não me sinto preparada para tanta mudança, mas a verdade é que tudo que mais quero em minha vida é ser SAUDÁVEL!
Isso não pela estética, beleza, e sim minha saúde, tenho doenças que não são brincadeira... Agora me diga, pq sou tão teimosa e insisto nessa vida de descontrole, ansiedade, compulsão...
Ai amiga, espero que essa fase passe logo, quero me amar, me sentir bem, e só estou assim se estou no controle, porque agora, minha vida está de pernas para o ar!!
Tenho fé que mês de outubro será o mês da renovação em minha vida!!
Vou orar muito e pedir a Deus sabedoria e força para continuar, na verdade começar uma caminhada nova, rumo as minhas vitórias!!
Amiga, tenha um fim de semana maravilhoso e desculpa o desabafo ai tá? Fiz um comentário enorme!
Bjss querida!

Janaina Mello disse...

Consegui ficar 4 meses sem consumir pão, mas quando a coisa aperta, é o que tem. Meu marido tb veio da roça, são italianos e ele comia batata doce no cafe da manha! É daquele tipo que passa pega um mato que não sei o que é e coloca na boca! Como é difícil renovar a mente! Só quando estamos em situação de risco né? Porque fazemos isso?

Anônimo disse...

Oi lu, adorei o post. Eu me lembro dos meus hábitos na infância e me arrependo de muita coisa. Hoje, graças a Deus, tenho hábitos muitos melhores e tenho certeza qu no futuro serei uma adulta saudável! beijoss

Romeyka Aguiar disse...

A irmã do meu marido mora numa fazenda .... Porém quando vamos para lá é um Spa de engorda ... Nso sei como se como tanto ... Lá tbm tem comida no café da manha .... Mandioca , cuscuz , carne cozida .... Inhame ... E por ai vai ... Além do queijo qualho Frito affff muita muita calorias ! Temos que cuidar mesmo !

Obrigado pelo carinho !

Bjs

REINVENTANDO disse...

Com certeza Lu, nossos hábitos alimentares refletem quem somos hoje. Bjs. Sandra

Geovana Centeno disse...

Tu sabe que lendo essa tua postagem, lembrei da minha infancia, não fui criada na roça e nem fazenda, fui criada na cidade, era só o meu pai que trabalhava e eramos 5 irmãos, a nossa comida era farta graças a Deus, mas tinha dias de as vezes nem ter o que comer, mas minha mae fazia pão de casa, bolo caseiro, mas a gente comia muito e bastante, mas não era variado, frutas, legumes, era geralmente da epoca, muita melancia no verão, muita vergamota no inverno, banana

meu pai comprava de saco, saco de arroz, saco de batata, saco de feijão, carne era direto no açougue, leite era de saquinho, minha mae usava banha, mistura pra pão era margarina ou manteiga, e as vezes ou raramente uma ximia

minha mae quando nos eramos pequenos fazia 1kg de feijão por dia, e ninguem era gordo hahaha

agora olho alimentação dos meus filhos, com nescau, bolachas, não compro recheada, mas compro bolachas tipo maria, não sou de muita frescuras ou guloseimas, mas uma vez no mes ou no fim de semana, eu permito

a gente vai se adaptando e tentando ter uma alimentação balenceada, variada, eu faço a dukan, não é um exemplo de alimentação, mas posso te dizer que me sinto muito bem com ela

respondendo a tua pergunta, a torta de prestigio, é da net sim e é super parecida com a minha e tamanho tambem kkkkkkkk

sobre os produtos smart life, ainda não testei, e são pra quem faz exercicios
no blog da Rosangela Barbieri tem sobre os produtos, pois ela testou alguns deles

beijocas!

Elis disse...

Oi minha linda,

esse post tá especial hein...
Você tem razão a nossa alimentação é cultural, vem do nosso aprendizado desde a mais tenra infância. Quando eu fiz terapia eu tive que pensar muito sobre a infância, e hoje sei que tenho loucura por doces por conta dessa época, mas não porque comia muito isso, mas porque eu não tinha acesso. Então quando comecei a trabalhar, ainda na adolescência, eu comprava caixas de bombom, doces em geral, salgadinhos tudo aquilo que eu não tinha na infância, mas via os outros comerem. Fiquei mal acostumada e hoje tenho que me controlar. Mas morro de vontade de ir no mc donalds, me entupir de batatinhas fritas. E antes do meu processo de RA eu ia no mercado, e comprava uma caixa de bis e uma lata de pringles com refri e devorava em frente a TV. Não vou dizer que estou curada, que não tenho vontade de fazer isso, mas hoje penso dez vezes antes de cometer loucuras gastronomicas.
E assim vamos que vamos!!!

abraços

Fátima Amorim disse...

AMIGA PASSANDO PARA TI DESEJAR UM LINDO FIM DE SEMANA
E DEIXAR UM BEIJÃO BEM GRANDE NO SEU CORAÇÃO SE CUIDA E VAMOS LÁ!!!

Linda disse...

Oi Lu!
Nossa, lendo as coisas que escreveu passou um filme na minha cabeça.
Eu não fui criada na roça, mas sei como é porque a minha sogra mora na roça e estamos por lá de vez em quando. É roça mesmo, com banheiro do lado de fora na casa, porcos e galinhas no quintal, aquele casebre sem sala, com apenas cozinha e dois quartos.
Lá é assim. Meu sogro não gosta de pão. Ele não liga porque não está acostumado a comer. O café da manhã é comida. A minha sogra mudou os hábitos alimentares há pouco tempo porque estava obesa e foi a um nutricionista, mas também se alimentava assim.
Comigo foi diferente. Quando meus pais se separaram, meu pai não ajudou em nada. Não dava pensão e nós passamos muita dificuldade. Durante anos, o nosso presente de aniversário era sair para comer uma pizza, e minha mãe sentia o rombo no orçamento até o mês seguinte. Ela fazia isso para não passar em branco, mas o dinheiro fazia falta.
Quando as coisas começaram a melhorar, ela enchia a casa de pães e biscoitos para nos recompensar, tanto pelos anos de "seca" quanto pela ausência dela.
Mamãe tinha dois empregos.Trabalhava numa loja durante o dia, e de noite era babá dos 3 filhos do dono da loja. A mulher dele era professora e dava aula de noite, e mamãe ficava com as crianças das 18hs até ela chegar, às 22hs.
Então nós comíamos também sem regras. Biscoitos, pães, tudo que antes não tínhamos.Todo final de semana pizza.
Enquanto eu era jovenzinha esses abusos não fizeram diferença. Mas ao me aproximar dos 30, lá por volta dos 27 anos...Ah minha amiga... O preço da gula veio altíssimo!
Portanto eu entendo quando diz que as vezes o mau hábito está em nós sem que saibamos. As vezes não é só gula, tem uma série de problemas de ordem psicológica por trás.
Agora que sabemos disso fica mais fácil lidar né?
Força pra nós!
Beijoooooo

Rita disse...

.`⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤
✫. `⋎´ ✫❤✫..
(⁀‵❤⁀,) ✫✫✫Bom dia de domingo✫.❤
Menina esse post é fantástico
a gente lembra que nosso estomágo
era de avestruz , mas o tempo vai passando e acaba um pouco
essas coisas, valeu mesmo
Abraços com carinho
Bjuss
Rita!!!
(⁀❤‵⁀,) ✫✫✫..! ♥
.`⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤

Carla Renata (A Teimosa) disse...

o famoso mexido..rs..
meu filho só come isso na janta.. pode ter o ke for.. mas ele vira pra mim e diz.. mãe.. faz mexido (arro, feijão, ovo, farinha e banana) kkkkkkk.... tbem fui criada meio ke na "roça" e moro nela até hj.. meu pai e meu avô sempre cuidaram do sítio, hj não temos mais sítio mas os habitos ainda permanecem.. bjokas lindeza e parabéns pela garra.

Branca disse...

Nossa Lu, que post inspirador, como sempre hehehe, meus problemas desde a reeducação que fiz praa cirurgia tem sido o jantar, pois na casa da minha mãe, na janta sempre era pão com alguma coisa, nunca era 'comida de verdade' tipo arroz, feijão, carne e salada, isso era coisa do almoço hehehe, daí que a noite pra mim virou sinônimo de comer besteira e no começo era bem difícil comer comida na janta, sorte que agora já estou me acostumando, é claro que as vezes dá vontade de comer um lanchinho, um pãozinho com alguma coisa, mas tenho resistido, pois como você disse, se não cuidarmos tudo volta a ser como antes, beijão e obrigada pelo carinho ;)

12 meses de mudanças! disse...

Oi Lu!
Sua historia é surpreendente, de uma verdadeira heroina que mata um leão a cada dia...cheguei aqui num dia bom, até conheci um pouco de vc!
Os habitos desde a infancia realmente nos acompanham e cabe a nós modifica-los aos poucos...o cerebro acompanha essas mudanças de forma lenta mesmo!
Obrigada por me visitar e estou te seguindo agora!
Parabéns és uma vencedora!
Bj

Emagrelícia disse...

Oláá.. que post 'profundo'. Te admiro mais e mais por isso.

Eu, que sempre reclamei da vida, sempre tive fartura de legumes, frutas e verduras. Iogurtes e cereais. A vida toda... e sempre optei (sim, OPTEI) por coisas gordurosas e calóricas.
Hoje, a minha escolha é outra. Mas a luta é diária. Sempre e pra sempre.

beeeijos e obrigada por dividir.
ps: amo pão kkkkkk

Mari disse...

Oi Lu tudo bem???

Se todos tivesse a consciencia q vc teve e tem não teria tantas pessoas achando q a bariatrica faz milagre!!!!

beijos

Beauty disse...

É Lu nossa relação com a comida é muito mais complexa do que imaginamos...
Tem raízes profundas na nossa história!
E mudar hábitos tão arraigados é difícil, por isso a terapia é tão importante!!!
Beijossss

Anônimo disse...

Lu, concordo contigo que muitas vezes os hábitos que nos são de certa forma impostos seja pela vida ou pela família, acabam interferindo sim no modo como lidamos com a comida e como nos alimentamos. Na minha família as pessoas dão amor com comida, então, não comer é ofensa e, mais grave ainda, como me acostumei a ter amor com comida, na ausência dele, o que supria??? comida...
É um ponto muit importante a ser lembrado, sobretudo para quem tem filhos. Eu não tenho, mas quero um dia ter e isso me preocupa também porque preciso me esforçar MUITO eu mesma para não dar amor com comida. Eu faço isso com o marido, com os amigos, etc;... é um hábito enraizado ha mais de 30 anos que está sendo difícil de extirpar viu...
Mas, vamos que vamos que somos capazes!!!
Beijocas
PS: menina, fiquei uma semana sem blogar e olha quantos posts você escreveu!!! :-)

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo