É preciso se lembrar sempre, de onde você vem!!

28 setembro 2012

Bom dia gente!
Estava me recordando da minha infância, do que comia na minha  infância, pra ser mais exata.
Podemos observar hoje em dia, na alimentação dos nossos filhos, e os blogueiros mais novinhos, na própria alimentação, que tudo, ou pelo menos a maioria dos alimentos, é diferente do que nos era oferecido antigamente. Falando assim, parece que sou uma tia velha, não é isso, mas que já passei dos trinta e não sou mais nenhum brotinho, não é segredo pra ninguém!
Acontece que fui criada pelos meus avós, em uma cidade do interior de minas, *(leia-se "na roça").
Talvez por dois fatores particularmente, minha alimentação naquela época, era bem diferente da que tenho hoje e não estou falando sobre redução de estômago. Não neste aspecto.
Morava na roça e a situação financeira dos meus avós não era das melhores, nunca faltou comida, mas as opções não eram muitas.
Quando se fala em roça todos pensam em muita fartura, uma grande variedade de pães, queijos, bolos, biscoitos, leite, frutas saborosas e frescas, legumes colhidos na hora..
Mas esperem um pouco... Eu disse que morava na roça, não em uma fazenda, vão por mim, a diferença é muito grande.
Fui criada ingerindo comida no café da manhã, ou no lanche da tarde. Quando sentisse fome. Comida...(arroz feijão macarrão...)
De vez em quando tinha um pão caseiro, de vez em quando tinha um bolo, mas no dia dia, na rotina, ia pra escola sem comer nada e merendava o que era oferecido na cantina.
De volta, almoçava e à tarde, tinha um mexido feito com o que sobrou do almoço, farinha e pimenta!! E como isso era gostoso!
A janta, não falei jantar, falei janta mesmo, era servida lá pelas cinco da tarde e antes de dormir, sempre rolava outro mexidão...
Foi uma vida difícil, então quando tinha alguma coisa diferente, como doce ou frutas, comíamos sem limite... Não sabíamos quando teríamos algo parecido novamente.
Com exceção às frutas da época, como mangas, goiabas, jabuticabas, essas que dão no meio do mato e não era preciso pagar, as outras tínhamos só na cesta de natal, da fábrica de tecidos onde meu avô trabalhava.
Iogurte, só uma vez por mês, como dizia meu avô, no dia do "surtimento", (compras do mês) e esperávamos, meu irmão e eu, ansiosos por este dia.
Carne era de galinha ou porco, que tínhamos no quintal e peixe, só se meu avô pescasse.
Isso hoje em dia poderia ser somente parte do passado, se não tivesse influenciado completamente nos meus hábitos alimentares.
********

Sei que muitos destes maus hábitos, que reconheço não terem sido propositais, contribuíram para que eu chegasse ao grau de obesidade que cheguei, mas hoje em dia, mesmo gastroplastizada, de alguns deles não consigo, ou luto muito para me livrar até hoje.
Até bem pouco tempo, eu só comia no café da manhã, mexido feito com as sobras do jantar.
Parei com isso depois da cirurgia, mas por querer mudar os hábitos. Somente.
Por muito tempo, tentei trocar as refeições noturnas por iogurtes, frutas e lanches leves, mas de verdade? Acabei optando por comer quantidades menores de alimentos que realmente me satisfaçam.
Quando vejo as fotos das comidinhas que vocês postam, acho graça. Eu também como estes alimentos!! Como por querer uma vida mais saudável, mas prefiro meu mexidinho, em qualquer refeição.
É claro que tirei isso da minha rotina gente, mas fácil nunca foi!!

********
Não sinto a menor falta de pão, por exemplo, se não existisse, não me afetaria em nada!!
Faço minhas escolhas, controlo as quantidades e não permito (é claro que as vezes piso na bola, como qualquer outro ser humano) que porcarias entrem no meu corpo.
O que quero dizer com este relato, é que as vezes os maus hábitos estão em nós sem que sequer percebamos.
Eu poderia me entupir com coxinhas, quibes e hambúrgueres se sinto fome no centro da cidade. Prefiro esperar um pouco mais e almoçar.
Poderia me entupir de chocolates, com a desculpa de ser hipoglicêmica, mas se não tenho crises, fico longe deles e das balas. se tenho, a história muda, pois aí ingerir açúcar deixa de ser opção e passa a ser necessidade.
Enfim gente... Hoje sou operada, mas o bisturi do dr, não passou nem perto do meu cérebro, diminuiu o meu estômago e  somente isso.
Eu sei que posso engordar novamente tudo o que emagrecei, se eu não aprender que depende de mim.
Mas como sempre fui uma aluna muito aplicada em toda e qualquer matéria, digo que estou tirando de letra.
Tento dar o meu melhor, em tudo o que me proponho a fazer e vejo resultados positivos sempre.
Isto eu costumo chamar de atitude. Frente à vida, frente aos problemas, frente às limitações e às circunstâncias...
O que deixo pra vocês nesse dia de hoje??
Chega de desculpites!! A verdade é que se você não se amar primeiro, ninguém mais vai!!!!
Um bom dia e ótimo final de semana a todos!!!!

Comentários
28 Comentários

28 Comentários:

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo