A casinha azul da Via 240. (E o efeito das caminhadas)

17 fevereiro 2013


Sim, estou deixando posts programados, foi a forma que encontrei para não deixar o bloguinho às moscas, odeio isso!!!
Gosto de ser presente por aqui!

Sabe gente, depois de dois anos de cirurgia, tenho sentido a necessidade de fazer mais por mim, pois operei para mudar de vida e não para ter a mesma vidinha medíocre de "come e engorda" que  tinha antes.
Passado o período de encantamento, de lua de mel com as facilidades da gastroplastia, é hora de colocar em prática o que aprendi ao longo do tempo, então voltei à caminhar.
Tenho feito isso duas vezes ao dia, todos os dias, como fazia no início.
Quem leu meu livro, ou acompanha o blog há mais tempo, sabe como era minha rotina.
Depois com os trabalhos de final de curso na faculdade fui relaxando e com as hipoglicemias parei completamente, mas agora que elas estão mais amenas, voltei com tudo e só não vou quando a talzinha aparece.
O trajeto é sempre o mesmo, em uma pista que tem pertinho da minha casa.
Não ando tanto, mas são 4 quilômetros, então indo e voltando são 8, para mim isso é muita coisa e me sinto muito feliz!
Não posso correr, pois minha perna direita não é como a de todo mundo, meus ossos são reconstituídos por placas de metal e os joelhos por muitos pinos, nem se eu quisesse daria!
Antes de operar, eu me aventurava nessas caminhadas de vez em quando, nas muitas tentativas frustradas para emagrecer.
Lembro-me que eu marcava no caminho, uma casinha azul que tinha lá do outro lado da rodovia.
Ainda existe, continua lá igualzinha, fica no meio certinho do trajeto e eu andava só até ela.
Nem nos meus sonhos mais lindos pensava em um dia completar a pista e confesso... Cada  passo que eu dava, era querendo muito que a casa chegasse logo.
Isso na ida, pois para voltar já era me arrastando, o quadril pesava tanto que custava pra levantar as pernas.
Agora isso tudo parece tão engraçado, passo pela casinha sem nem me lembrar dela, quando vejo já estou lá no fim, vou até a área de alongamento e volto.
Antes era uma hora de manhã e mais uma a noite para fazer meio trajeto.
Hoje em quarenta minutos, faço o trajeto inteiro ida e volta.
Então penso comigo, enquanto até hoje recebo críticas pelo "atalho" que peguei...
Eu agradeço ao Senhor todos os dias por tê-lo colocado em meus caminhos, pois acredito de verdade que sem ele, talvez hoje minha caminhada já tivesse chegado ao fim.
É muito gratificante ver aquela casinha azul hoje!
Sem saber de nada, ela sempre esteve lá, e foi também um grande incentivo para mim...
Não gostaria que a pintassem de outra cor.....
Bjos gente!!!
Até o próximo post programado!!!

Participem do sorteio de um exemplar do meu livro, autografado, clicando aqui!!
Comentários
10 Comentários

10 Comentários:

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo