Cirurgia Bariátrica e Bebida... Uma combinação que não combina!

14 dezembro 2021

 

Será que vale mesmo à pena se sujeitar a uma troca de vícios, ou, à uma troca de doenças? Até que ponto iremos negligenciar que a Obesidade é uma doença de tratamento complexo? Seguir as orientações de toda a equipe interdisciplinar, é a única forma de se manter no controle. Mas se o paciente some das consultas, como irá receber as orientações? Muitos aderem aos grupos de WhatsApp e redes sociais, e seguem “conselhos de comadres”! Acontece que tratamento sério, não acontece assim. E no fim das contas, é a saúde quem paga a conta. Tratamento sério só ocorre quando o paciente tem consciência de si enquanto doente e adere ao tratamento mais indicado, de maneira adequada. Os profissionais não podem ajudar quem não quer ser ajudado!

Responsabilize-se, por suas escolhas!

Toda decisão envolve consequências. Quando uma pessoa escolhe cuidar da sua Obesidade através da Cirurgia Bariátrica, precisa entender que sua vida deve mudar. A comida não poderá mais ser a companheira de todas as horas, mas de alguma forma será preciso lidar com a compulsão. Quem tem obesidade carrega consigo um histórico de compulsão e abusos alimentares, que facilmente é substituído por outro objeto depois da cirurgia. O bisturi modifica a anatomia, faz caber menos comida, mas não trata o transtorno alimentar. É por esse motivo que pacientes sem acompanhamento psicológico tendem a ter reganho de peso e troca de vícios. Ao optar pela intervenção cirúrgica, o doente deve abrir mão de muitas coisas e nem sempre está disposto a isso. Então… enquanto consegue a cirurgia ajuda. Mas depois de algum tempo, pessoas engordando novamente ou alcoolizadas por aí (entre outros acontecimentos), é o que ocorre frequentemente. Cuidar da saúde com Cirurgia Bariátrica, exige querer estar bem de forma integral, caso contrário será só uma troca de doença!

Obesidade dói. No corpo e na alma!

11 dezembro 2021



Pessoas com obesidade sentem dores horríveis em todo o corpo. Pés e tornozelos são responsáveis por sustentar tudo acima deles, e são pressionados pelo peso. A coluna grita por socorro. O coração precisa trabalhar muito mais, para bombear o sangue de maneira suficiente para manter o indivíduo vivo. O peso excessivo faz com que a pessoa esteja sempre cansada e sem energia. Por mais “animada” e bem disposta que a pessoa pareça, ou tente se mostrar, no fim de um dia corrido é só ela e ela mesma… Pessoas com Obesidade se sentem muito mais exaustas depois de um dia de trabalho, do que as que não tem essa doença, fazendo as mesmas atividades. Rins, fígado, pâncreas… Por mais que a pessoa ache que está tudo bem, a verdade é que não está! Ou não estará por muito tempo. “Obesos saudáveis”, são na verdade, apenas *metabolicamente* saudáveis, o que significa que em algum momento as doenças decorrentes da Obesidade virão à tona! Diabetes, pressão alta, ovários policísticos, ausência de menstruação, dificuldade de ter ou de manter ereção… Tudo isso pode ter sido causado ou agravado pela Obesidade. 
E eu estou citando apenas “por alto”, alguns dos efeitos da Obesidade no corpo de uma pessoa. O preconceito com a pessoa acometida pela Obesidade só piora a condição do doente. Sim!  Doente! Obesidade é doença, não tem cura e mata muito! Vamos respeitar essas pessoas? 
E que tal, tentar ajudar? Comece parando de julgar e já terá feito alguma coisa! 

^
© Gastro Feliz |2014. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Karina Enésio.
imagem-logo